Sunday, December 03, 2006

Meus Silêncios...


Os meus silêncios são assim,
De espinhos cravados.
Rasgam a pele
Quando tento escapar.

Meus silêncios não têm medo.
Medo eles são por inteiro,
De espinhos cravados,
Medo deram por companheiro.

Meus silêncios já não me falam,
São apenas ausência
E, espinhos cravados.
O medo pelo medo e contundência.

Meus silêncios ficaram agora zangados.
Nada são de mim e eu, deles, tudo.
Sou o eterno rasgar neles
De espinhos cravados...


by Ar, 30 de Novembro, 2006

1 comment:

© Piedade Araújo Sol said...

Meus silêncios
São facas
São raiva
São tudo aquilo que eu
não grito
no meio dos meus silêncios...